Patrine

Bishoujo Kamen Poitrine

Assim como nos animes, o gênero Magical Girl’s (Mahou Shoujo) também abriu seu espaço entre os tokusatsu (neste caso chamados de Onna Senshi, ou seja, mulher guerreira) e Bishoujo Kamen Poitrine, (leia Powatrin) com certeza foi uma das pioneiras de toda essa história. A série, bastante antiga já, não fez o sucesso esperado no Brasil e provavelmente chega a ser bem desconhecida de vários fãs das produções japonesas atuais. Porém, suas caracteríticas “peculiares” fazem desta série mais conhecida do que se possa imaginar e a influência que causou maior ainda. Neste review, serei o mais franco possível com relação a esta história, que particularmente fez parte da minha infância e portanto, quero escrever sobre ela como ainda não vi em nenhum outro site. Acredito que por muitas vezes os reviews são injustos com a série, apesar de nenhuma mentira ser dita (^^” ehehe). Como toda produção, possui seus defeitos, mas apesar de tudo isso, Patrine, como ficou conhecida para nós brasileiros, conseguiu sobreviver e ainda se mantém fixa na memória de muita gente!

 A Lendária guerreira… de qual lenda?

Tudo começou quando a estudante colegial Sayuri Murakami (o verdadeiro nome da personagem é Yuko Murakami, mas por razões que jamais saberemos, o nome foi mudado para Sayuri no Brasil) ao ir para a escola como em todas as manhãs, se lembra que precisa passar no templo para fazer suas orações de ano novo. Ao terminar sua prece, como já devem ter visto em Sailor Moon, no templo da Rei, as pessoas precisam tocar um sino e ao fazer isso, Sayuri simplesmente o derruba. Neste instante um velhinho aparece e percebe como Sayuri é forte (claro que nada como Clark Kent ehehe mas ele diz que ela é forte só porque derrubou o sino u.u”). O velho se apresenta como sendo ninguém mais, ninguém menos do que o próprio Deus ( Kami-sama no original, em alguma de suas representações) e para que a assustada colegial acreditasse nas suas palavras, ele a transforma em uma rã e depois a destransforma . Mesmo com cara de assustada, (apesar de não aparentar tanto ehehe) Deus diz a ela que está passando muito mal do estômago (o.O”) e que precisa se recuperar em um termas na Itália. Só que ele não pode deixar a Terra desprotegida e por isso resolveu recrutá-la como a mitológica guerreira mascarada: Patrine. O mais estranho é que em nenhum mito ou lenda encontramos tal guerreira, mas enfim…. Com as palavras mágicas: “Magia Cósmica! Metamorfose!”, e um estalar de dedos, Deus transforma Sayuri em Patrine. Então, na hora em que o velhinho começa a se despedir da garota, ele lhe dá um último aviso: se Sayuri revelar sua verdadeira identidade a alguém…. novamente estalar de dedos…. ela seria transformada em uma rã para o resto de sua vida. Assim, depois do terrível aviso, Deus traz Sayuri a sua forma humana novamente, entra em uma Ferrari (pelo menos Deus tem estilo ehehehe) e desaparece…. Sem entender nada direito do que aconteceu, Sayuri percebe que está atrasada para a escola e sai correndo para chegar em tempo à aula.

Desta forma as aventuras de Patrine em defesa dos “frascos e comprimidos” (ehehe ^^) começam e Sayuri leva esta responsabilidade muito a sério desde o início. Logo no primeiro capítulo um ladrão de fitas de Video-Game (aliás a fita era de Dragon Ball) aparece e ela resolve investigar para tentar pegar o bandido. Na primeira parte da série os inimigos não passam de pessoas com idéias malucas que querem fazer contra a sociedade, nada de um super grande vilão que quer dominar o mundo. A heroína enfrenta os perigos que afligem a sociedade, que vão de maníacos (seja lá qual sua maluquice eheh) a simples ladrões de jóias.

Por sinal os vilões de Patrine são como a marca registrada da série. Canastrões e com idéias absurdas, no mínimo todos frequentavam o mesmo hospício. Em alguns exemplos podemos citar o professor de ginástica que fazia casulos de suas alunas para tirar fios de seda e assim fabricar tecidos de alta qualidade; a máfia de empanar brinquedos velhos para exportar (eu lembro dessas cenas da empanagem até hoje ehehe); o louco que forçava pessoas a comerem feijão estragado ou o esperto que roubava deveres de casa porque ele mesmo queria fazer (esse sim tinha que ser salvo, queria ver se ele faria as listas de exercícios que faço XP!!); a escola que vendia crianças para o exterior; o produtor que queria enriquecer às custas da Patrine… todos eles, ou queriam enriquecer de forma ilegal, ou tinham algum trauma para resolver e que explicava sua atitude maluca.

Mas felizmente, Patrine sempre aparecia no momento exato de impedir todos eles e em como todo bom Tokusatsu, anunciava sua chegada, lançando a pena que fica em sua máscara e em seguida fazia sua apresentação: “Lutarei enquanto existir amor, até o fim da minha vida! Estrela Fascinante: Patrine!” (Ai aru Kagiri Tatakaimashô…) e assim a luta começava. Aliás, as lutas não eram tão emocionantes assim, pois como no Chaves, bater com uma caixa de papel na cabeça ou dar um simples golpe na barriga já fazia todos desmaiarem e a heroína sair vitoriosa. Então, se quem viu Pretty Guardian Sailor Moon achou o ballet das lutas engraçado, vai rir mais ao ver Patrine. Ainda no meio da luta, ela completava sua apresentação com a frase: ” Mesmo que o (órgão, entidade, associação, que no caso puniria a pessoa) o perdoe, eu, Estrela Fascinante Patrine, não o perdoarei! Jamais!” e então, acabava com os malfeitores. Ao vencer a luta do primeiro episódio, a vítima (que por sinal era seu irmão) pediu um autógrafo dela. Com sua espada, Patrine desenhou um P na camiseta dele e após isso, ao final de todas as suas lutas, Patrine desenha um P em qualquer lugar, seja em paredes, portas, postes, para assim deixar a marca de que esteve lá.

Para auxiliar suas investigações contra os loucos da sociedade, Sayuri ainda contava com um relógio mágico de mil e uma utilidades, que vai desde a um analisador de substâncias estranhas (no episódio do instrutor vilão, o relógio apita quando Sayuri chega perto de uma substância que intoxicava as mulheres) a uma transformador de disfarces (assim como Usagi usa a caneta, em Sailor Moon). Com um gesto ele se transformava em seu relógio mágico e com a ordem: “Mutação!” e em seguida no que ela queria se disfarçar e então, Sayuri podia passar desapercebida em todos os lugares. O relógio era tão bom que até uma moto ele fazia aparecer o.O!

Como não só de acessórios vive uma heroína, a popularidade de Patrine faz com que o “Clube Patrine” fosse criado. Os membros do clube são: o irmão de Sayuri, Hideki, e seus amigos da escola, Kazuya, Kenji e Shinzuke, que apesar de idolatrarem a defensora do amor, aprontam a todo instante com Sayuri para enfurecê-la. O clube, que originalmente serviria para ajudar, na verdade se torna mais um motivo para que a Estrela Fascinante apareça e salve todos dos apuros que se metem. Além dessa grande ajuda, Patrine também precisa cuidar da Policial Honda. Ela é mãe de um dos amigos de Hideki, Kazuya, e até o aparecimento de Patrine, era a heroína do bairro. Com ciúmes e com medo de perder sua fama, a Policial Honda também aparece em todos os lugares para ser salva por Patrine, algo que a deixa muito furiosa e fere seu orgulho.

Luta do Inferno

O verdadeiro vilão só aparece mesmo na metade da série. Se quem deu poderes a Sayuri foi Deus, nada mais lógico que o vilão principal ser o próprio Diabo (Diablo, na versão japonesa). Provavelmente cansado de tentar dominar a Terra e as pessoas, o senhor do submundo resolve ir mais além: seu verdadeiro objetivo é dominar o espaço sideral! Pelo que pude pesquisar, ele quer obter uma terrível arma que os japoneses desenvolveram para atingir seu desejo! Neste ponto da série, Patrine ganha novos acessórios, como seu novo transformador e uma caixinha de música em forma de Carrossel, só que além dos apetrechos, também ganha uma ajudante: Pequena Patrine (Poitrine Petite).

Pequena Patrine é literalmente o que o nome diz, a versão mini da Patrine. Utilizando a mesma roupa, máscara e acessórios, só que no tamanho PP, a menininha aparece de repente e no início, cria uma richa com Patrine, já que disputam quem vencerá o vilão, quem chegará primeiro para salvar uma vítima indefesa, até que percebem que o melhor é se ajudarem. A diferença de poderes entre Patrine e Pequena Patrine só está no fato de que, ao invés de usar a espada para lutar, Pequena Patrine possui um cetro, do tipo da Sailor Moon em Sailor Super S, e com ele faz todo tipo de mágica, pois faz aparecer objetos estranhos (uma dentadura gigante é normal?) para atacar os inimigos. Pequena Patrine também possui a espada, mas só fica no cinto e nunca sai de lá!

O mais engraçado da história é que a verdadeira identidade da Pequena Patrine é Tomoko (Momoko no original), irmã mais nova de Sayuri, que no início da série é uma chata de galocha que reclamava de tudo e de todos se achando a madura. E apesar de estarem tão próximas, nem Sayuri, nem Tomoko sabem suas verdadeiras identidades, porque como Patrine, Deus também ameaçou a versão mini de transformá-la em uma lagosta caso revelasse sua identidade a alguém. Por isso, as duas vivem inventando histórias e desculpas uma para outra, para ficarem sozinhas e se transformarem sem que ninguém veja, já que se esbarram em todo lugar quando vão investigar o mesmo problema.

No final da série, que não foi exibido no Brasil, o Diabo sequestra Pequena Patrine levando-a para o inferno (na verdade, seu esconderijo), e então sobra para Patrine ir salvá-la. Chegando lá, Patrine encontra sua versão júnior dominada pelo Espírito do Inferno que é uma pedra negra em chamas presa ao corpo de Pequena Patrine que a transformou em Dark Pequena Patrine. No mesmo instante, o Diabo aparece e revela que Pequena Patrine é a irmã mais nova de Sayuri. Em sua versão Dark, Pequena Patrine fica muito forte e sem controle de seus poderes acaba destruindo o inferno o.O! Sem saber como lutar contra sua irmã, Patrine faz aparecer uma tigela com doce-de-feijão (arghhhhh) que traz a memória de Pequena Patrine de volta, deixando-a atormentada e sem ação. Aproveitando o momento, Patrine utiliza sua espada e consegue retirar a pedra do corpo de sua irmã, jogando-a no corpo do Diabo, que também fica sem controle e parte contra elas. Agora, uma do lado da outra, as duas lutam juntas e ao entrarem no corpo do Diabo, o derrotam.

Ao saírem do corpo do Diabo , Patrine mostra sua caixa de música em formato de Carrossel para o Diabo que se recorda de sua infância e de seu sonho: ser batedor de sino! Como não o deixaram realizar seu sonho, ele se transformou no Diabo. Após a cura do mal, Patrine e Pequena Patrine revelam suas identidades, apesar do medo de Deus cumprir sua promessa. Mas, ao invés disso, um enviado de Deus aparece e retira os poderes das duas (provavelmente a azia de Deus devia ter passado eheh) e as duas, mais o Diabo, na sua versão bonzinho, vão badalar um sino para anunciar o Ano Novo.

 O Bom, o Ruim e o Podre…

Patrine é uma série no mínimo engraçada e estranha. Sua produção foi extremamente pobre, como podemos perceber no roteiro dos episódios, nos efeitos especiais, na atuação dos atores, o que faz com que a história chegue ao nível do absurdo. No meu ponto de vista, pode ter sido intencional, já que o decorrer da série parece tentar fazer uma comédia pelo absurdo. Como dito no review, os motivos dos vilões e suas atitudes são bizarras e isso fez a série perder um pouco da sua credibilidade. No quesito efeitos especiais, até nos episódios do Chapolin encontramos uma perfeição maior, pois os ataques e as lutas contra os inimigos são bem simples e sem nenhum tipo de “violência”, se podemos considerar que tapinhas, voltinhas e empurrões não são violentos. Patrine na verdade é voltado mesmo para o público infantil, que gosta da magia, da brincadeira e das situações engraçadas que são apresentadas. As crianças não se preocupam se é um absurdo alguém empanar e fritar brinquedos, elas só vêem que isso é algo errado e por isso, ainda bem que aparece alguém para impedir essas atitudes malucas, além de qualquer tipo de produção envolvida. Independente de ser trash, ridícula ou absurda, Patrine mostrou que marcou presença e influenciou gerações.

Segundo as lendas urbanas, Sailor V, e consequentemente Sailor Moon, foi inspirada em Patrine. Podemos ver diversas semelhanças entre as duas, que por mais que sejam características do gênero Mahou Shoujo, ainda indicam que tal lenda possa ser verdadeira. Se analisarmos, a apresentação de Patrine lembra o famoso ” E vou punir você em nome da Lua!”; a pena que é jogada parece ser a rosa que Tuxedo Kamen lança, além de que nos primeiros esboços, tanto Sailor Moon como Sailor V possuem máscara e capa. Esses são pequenos detalhes que ligam Patrine a Sailor Moon e que aumentam a possibilidade da famosa inspiração de Naoko Takeuchi. Há aqueles que ainda dizem que a Pequena Patrine também foi a culpada do surgimento de Sailor Chibi Moon (Pequena Sailor Moon). Como Sailor Moon ainda hoje influência várias outras produções do gênero, podemos dizer que Patrine está escondida indiretamente em todas elas, ehehe apesar de sua breguice.

No Japão, Patrine fez um enorme sucesso e conseguiu resgatar o gênero Mahou Shoujo dos Tokusatsu. Ainda hoje existem essas produções no Japão e todas, de certa forma, derivam do formato de Patrine, porém, sem tanta tosquice ehehe. No Brasil o sucesso não foi tão grande quanto esperado, mas na minha opinião, não ficou devendo muito em relação as outras produções de sucesso na época. Patrine foi exibida pela primeira vez no ano de 1993 na extinta Tv Manchete durante a onda Tokusatsu que dominou o país. Em 1994 Patrine foi reprisada pela Tv Record junto com outros Tokusatsu que fizeram sucesso na Manchete como Flashman, Changeman. Só se eu estiver muito enganado, mas…. o horário era entre as 16:00 h as 16:30, na Rede Record ehehe. Patrine somente não fez sucesso suficiente para fazer com que suas bugigangas vendessem. Mesmo assim, ainda foram lançados mais de 10 volumes em VHS dos episódios de Patrine e que trazem no título: “A Nova Rainha dos Baixinhos”, tudo para que Patrine chegasse as crianças. Mas, analisando por um âmbito geral, o mercado de meninas no Brasil nunca se interessou tanto por isso, tanto que mesmo séries que relativamente fizeram sucesso, são fracasso de vendas, como aconteceu com a própria Sailor Moon, as Guerreiras Mágicas de Rayearth, ou qualquer outro Mahou Shoujo que tenta vender na terra tupiniquim. Em compensação, no Japão, sempre são sensação.

A dublagem ficou a cargo da WindStar (que acredito ter falido) e nela encontramos mais uma grande coincidência com Sailor Moon. Sayuri foi dublada por Marli Bortolleto, assim como Serena foi dublada na primeira fase por ela. Marli também dublou um dos amigos de Hideki, o Kazuya. A Pequena Patrine ficou a cargo de Angélica Santos e muitas vozes conhecidas (como a voz da Sailor Lead Crow, em Sailor Stars) participaram da dublagem. Tanto a música de abertura quanto a de encerramento foram adaptadas, mas até hoje, ninguém tem certeza de suas letras pois é praticamente impossível entender o que é dito nas músicas o.O! Mas, não deixam de ser boas ehehe.

Assim Patrine deu sua grande contribuição a este mundo mágico e apesar de todos os pesares, é uma série que vale a pena ver para se emocionar e resgatar a criança que existe dentro de todos nós, com seus olhos inocentes e que admiram as pequenas coisas da vida ^^v.

Personagens Principais

Murakami Yuko (Kajima Yuko)

Yuko (Sayuri, no Brasil) é a protagonista da série. É a filha mais velha da casa dos Murakami e está no 2º Colegial da Escola Fujimi. Um dia ela ganha poderes de um estranho velhinho que se apresenta como sendo Kami-Sama lhe entregando os poderes da lendária Patrine. Adora sorvete e sair com os amigos.

Murakami Momoko (Maeda Toshie)

No início da série Momoko (Tomoko, no Brasil) é apenas a irmã mais nova chata de Yuko. Sua participação na série aumenta quando ela encontra o mesmo velhinho que sua irmã mais velha encontrou. O velho que se auto-entitula Deus, a transforma em Pequena Patrine no meio da série e a partir daí, ela passa ajudar Patrine na luta contra o terrível vilão, Diablo.

Kami Sama (Suzuki Kiyonobu)

O simpático velhinho aparece apenas no primeiro episódio e no meio da série, quando ele entrega os poderes da “Lendária Guerreira Patrine” para as irmãs Murakami. Com problemas de estômago, Kami-sama resolve tirar umas férias em um termas na Itália para se recuperar e por isso escolhe as duas para protegerem a Terra durante sua ausência. Kami-sama é muito prepotente, pois ele viaja de Ferrari para cima e para baixo.

Diablo (Hotaruyuki Jiro)

O vilão principal da história somente da o ar de sua graça no meio da série. Com o objetivo de dominar o espaço sideral, Diablo complica a vida das pessoas para conseguir atingir seu objetivo. Mas na verdade, ele apenas queria ser um batedor de sino, mas ao ver seu sonho frustrado, ele resolve partir para o lado do mal.

Murakami Hideki (Kobayashi Ryuta)

O irmão mais novo de Sayuri vive aprontando para sua irmã mais velha e para a heroína Patrine. Quando ele não inventa formas de enfurecer sua irmã com seus amigos, o grupo, que se denominou “Clube Patrine”, eles resolvem ajudar a heroína contra as ameaças do mal. Porém, ele seus amigos mais se expõem aos perigos, para a serem salvos pela guerreira do que a ajudam a destruir algum monstro.

Honda Kazuya (Shimojima Yuuji)

Um dos melhores amigos de Hideki e membro do Clube Patrine, ele também é o filho da Policial Honda. Junto com Hideki e os outros, arma todo tipo de confusão para Yuko e tenta ajudar Patrine em sua missão contra o mal.

Kenji (Tenma Makoto)

O intelectual do Clube Patrine, na verdade só tem aparência. Como Hideki e todos os membros do Clube Patrine, ele também adora irritar Yuko e ajudar Patrine quando ela está em dificuldades.

Shinsuke (Yamazawa Takehisha)

O mais forte (e gordinho eheh) dos integrantes do Clube Patrine, ele vive pensando em comer ou fazer uma boquinha. Filho único de um farmacêutico, junto com Hideki e seus amigos aprontam com Yuko e ajudam Patrine contra o mal.

Murakami Noriko (Otonashi Makiko)

A mãe de Sayuri é uma dona de casa muito dedicada e responsável. Cuida de seus três filhos e além disso é sempre um dos alvos preferido dos inimigos.

Murakami Hayato (Saiki Shigeru)

O pai de Sayuri é bem estranho, ele é o editor de uma revista feminina e vive na farra com os amigos. Devido a seu trabalho, Sayuri sempre consegue tirar dele informações valiosas para suas investigações. Vez ou outra também é alvo dos inimigos.

Ritsuko Honda (Shibata Rie)

Ela é a policial do bairro e extremamente respeitada. Quando Patrine aparece, ela se sente ameçada em perder seu prestígio, por isso, começa a concorrer com ela querendo investigar todos os casos que aparecem. Mas, ao fazer isso, assim como os membros do Clube Patrine, a Policial Honda só entra em mais perigo, forçando a heroína salvá-la sempre que preciso.

Bugiangas Mágicas de Patrine

Broche de Transformação

 

 Espada

Relógio

 

 Anel Mágico

Relógio de Mutação

*Obs: As bugigangas mágicas não possuem nomes específicos

Dubladores

  Dublador

Murakami Yuko

 Marli Bortoleto

Murakami Momoko

 Angélica Santos

Murakami Hideki

 –

Murakami Noriko

 Rosa Maria

Murakami Hayato

Honda Kazuya

Marli Bortoleto

Kenji

 –

Shinsuke

Zaira Zordan

Ritsuko Honda

Kami Sama

 Mário Vilela

Diablo

 –

Vídeos

[colocar vídeo da abertura e do encerramento brasileiros]

Ficha Técnica

Nome Japonês: Bishoujou Kamen Poitrine
Tradução: Bela Mascarada Poitrine

Exibida no Japão: 07/01/1990 – 30/12/1990
Exibição no Brasil: 1993-1994

Número de Episódios: 51
Produção: Company Fuji TV; Toei

Roteiro:
Ishinomori Shoutaro

Produtor:
Hikasa Jun; Nishimura Masayuki; Takadera Shigenori

Música:
Honma Yuusuke

Diretor:
Murayama Shinji

Guia de Episódios

  • 01 – A Enviada Por Deus
  • 02 – A Super Policial Feminina
  • 03 – A Misteriosa Escola Particular
  • 04 – O Espírito de Napoleão
  • 05 – Dr. Bill, O Criminoso
  • 06 – O Estranho Barbeiro
  • 07 – Não Sou Ídolo
  • 08 – Trama de Um Parlamentar
  • 09 – A Super Voz
  • 10 – A Faixa Milagrosa
  • 11 – A Fábrica Clandestina de Fiação
  • 12 – O Filho do Presidente
  • 13 – A Indústria de Dinheiro Falso
  • 14 – O Apito Misterioso
  • 15 – A Volta do Dr. Jonny
  • 16 – O Protetor
  • 17 – O Desaparecimento da Flâmula de Carpa
  • 18 – O Fugitivo
  • 19 – A Nova Arma
  • 20 – A Caixa de Música
  • 21 – A Super Energia
  • 22 – O Príncipe de Aparela
  • 23 – O Ataque aos Restaurantes
  • 24 – A Casa de Pensamentos
  • 25 – O Defumador Espanta-fantasma
  • 26 – Devolva Minha Energia
  • 27 – O Concurso de Racha Melancia
  • 28 – A Namorada do Guerreiro
  • 29 – A Trama Diabólica (1ª Parte)
  • 30 – A Trama Diabólica (2ª Parte)
  • 31 – O Estudante Assaltante
  • 32 – Flashback
  • 33 – O Criminoso Infeliz
  • 34 – O Sanduíche Respeitado
  • 35 – O Tesouro do Princesa
  • 36 – A Misteriosa Motoqueira
  • 37 – A Arma Poderosa
  • 38 – Operação Prisão
  • 39 – Os Dentes Cariados
  • 40 – A Benzedura
  • 41 – O Extraterrestre Elegante
  • 42 – O Guerreiro Amado
  • 43 – A Educação
  • 44 – O Manhoso
  • 45 – A Mentira
  • 46 – O Circulo Misterioso
  • 47 – O Tesouro da Princesa
  • 48 – A Namoradinha
  • 49 – Por Um Dia de Investigação
  • 50 – Tragédia de Natal
  • 51 – Feliz Ano Novo (1ª Parte)
  • 52 – Feliz Ano Novo (2ª Parte)